Menu

Publicado em Dez 3, 2017 em Destaques, Eventos, Ver tudo

Cidades inteligentes é tema de TCC de Bruno Machado


 

A Organização Mundial da Saúde estima que a poluição do ar é responsável por cerca de 8 milhões de mortes anualmente devido a doenças crônicas, como doenças respiratórias e cardiovasculares. No Brasil, estimam-se custos anuais de 1,7 bilhões de dólares relacionando mortes prematuras e poluição do ar em 29 capitais.

Monitorar os níveis de poluentes atmosféricos é uma forma de identificar os pontos mais poluídos da cidade e alertar a população sobre os perigos da exposição a agentes tóxicos. No entanto, com apenas 1,15 estações de monitoramento por milhão de habitantes (comparado com 23 estações por milhão de habitantes na Alemanha), o Brasil está muito atrás das métricas internacionais para garantir um monitoramento abrangente dos poluentes atmosféricos.

O TCC de Bruno Lo Frano Machado estudou a viabilidade e precificação para a instalação de uma rede de monitoramento de baixo custo usando micro sensores com aplicação para uma cidade inteligente. Bruno desenvolveu protótipos com sensores de poluição do ar, temperatura e umidade e instalou em pontos estratégicos de Londrina (PR) para monitoramento dessas variáveis em tempo real. O estudo contou com o apoio do CNPq e do AWC Academic Working Capital.

Bruno apresentará seu protótipo em uma feira de investimentos na cidade de São Paulo em dezembro de 2017 com o intuito de transformar sua ideia inovadora em negócio.

O estudo foi orientado pelos Professores Admir Créso Targino e Janksyn Bertozzi.