Menu

Publicado em Dez 11, 2014 em Notícias, Ver tudo

Distribuição espacial do consumo de energia elétrica na cidade de Londrina

 

O projeto ICALON (Ilha de Calor em Londrina) está realizando um estudo que objetiva mapear o campo de consumo de energia elétrica residencial na cidade de Londrina e encontrar suas possíveis relações com variáveis socioeconômicas e meteorológicas. Em outubro de 2011 foi elaborado um questionário abordando questões relativas aos padrões de consumo nos meses de inverno de 2011, além de investigar características socioeconômicas do grupo familiar e da residência. Utilizando tais informações, busca-se estabelecer se variáveis ambientais e socioeconômicas podem influenciar no consumo de energia elétrica. A coleta de dados foi realizada de outubro de 2011 a abril de 2012. Ao todo, 106 questionários foram analisados, dentre os quais 103 estão localizados dentro da área de estudo (perímetro da cidade de Londrina).

Os resultados preliminares podem ser observados nas figuras a seguir:

 
Noticia-4-distribuicao-energia-Londrina-1

Noticia-4-distribuicao-energia-Londrina-2
 

Acrônimos: Biblioteca (BIB), Univ. Tecnológica Federal do PR (UTF), Universidade Estadual de Londrina (UEL), EMBRAPA Soja (EMB), Aeroporto (LDB), SIMEPAR (SIM).
 

A Figura 1 mostra a distribuição de renda mensal e a Figura 2 apresenta o consumo médio entre os meses de maio, junho, julho e agosto de 2011. É possível identificar vários padrões de consumo na cidade. Os maiores valores de consumo estão na região sul e sudoeste, e em um núcleo menor a leste da cidade. A faixa central tem consumo médio de até 250 kWh e a zona norte apresenta um máximo secundário de até 300 kWh.

Analisando as figuras 1 e 2, pode-se afirmar que nas regiões em que a renda familiar é maior, o consumo de energia também tende a ser maior. Nota-se isso claramente na zona oeste da cidade, na qual há residências com renda mensal superior a 20 salários mínimos e o consumo de energia elétrica médio durante o inverno chegou a superar 500 kWh mensais. Convém ressaltar que na zona oeste estão localizados os bairros mais nobres, como a Gleba Palhano, por exemplo. O mesmo comportamento pode ser percebido no núcleo de consumo elevado a leste, onde também há residências de elevada renda mensal.

A segunda parte deste estudo pretende observar como as variáveis socioeconômicas e consumo de energia se comportam de maneira isolada e em grupo, visando propor um modelo que descreva o campo espacial do consumo de energia elétrica na cidade de Londrina. Além disso, será feita a sobreposição dos campos de distribuição de consumo de energia e de distribuição de temperatura, analisando possíveis relações com esta variável meteorológica.

 
Texto produzido por: Thais Borini de Melo e Bruno Misael Vedovatte.