Menu

Publicado em Abr 1, 2015 em Notícias, Ver tudo

Cânions urbanos e degradação da qualidade do ar

 

As zonas urbanas são caracterizadas por diferentes elementos urbanísticos (praças, ruas, avenidas, entre outros). No entanto, os edifícios constituem os elementos mais característicos das cidades e sua disposição pode formar uma configuração conhecida como “cânion urbano”, na qual as edificações estão enfileiradas ao longo de ambos os lados de uma rua. Tal configuração é predominante especialmente na área central das cidades. Os cânions urbanos são conhecidos por registrarem elevados níveis de poluentes atmosféricos, já que as paredes das edificações dificultam a dispersão de poluentes, favorecendo assim sua acumulação. Em estudos realizados em Manchester (Inglaterra) e Stockholm (Suécia) observou-se que os níveis de poluentes diferem dentro do mesmo cânion, podendo ser mais elevado em um lado da rua do que no outro.

Regimes de escoamento do ar no interior do cânion urbano. Fonte:  Romero, M.A.B., Fórum, Vol. 4 , No. 1,  2011.

Regimes de escoamento do ar no interior do cânion urbano. Fonte: Romero, M.A.B., Fórum, Vol. 4 , No. 1, 2011.

As concentrações de black carbon (conhecido como fuligem no idioma português) e ozônio estão sendo monitoradas dentro de um cânion urbano na cidade de Londrina (PR). Instrumentos foram instalados em ambos os lados da rua Sergipe, e uma estação meteorológica está em operação no teto de um edifício de oito andares para estabelecer relações entre concentração de poluentes e circulação atmosférica. A rua Sergipe é uma via de mão única com intenso trânsito veicular (800 veículos/hr), sendo 13% ônibus e caminhões a diesel que constituem fonte de black carbon. O black carbon, além causar câncer, contribui para o aquecimento do planeta. Os dados servirão ainda como elementos para alimentar um modelo numérico que realizará a simulação das concentrações no cânion.

O projeto é financiado pelo CNPq e coordenado pela Dra Patricia Krecl. Um estudo semelhante foi realizado pela Dra. Krecl e pesquisadores do Institute of Applied Environmental Sciences na cidade de Stockholm, e publicado recentemente no periódico Aerossol and Air Quality Research.

Participam deste projeto:

Dra. Patricia Krecl (Coordenadora)
Dr. Admir Créso Targino
Dr. Matthias Ketzel (Aarhus University, Dinamarca)
Luiz Felippe Wiese (bolsista CNPq)
Eduardo VItangelo (bolsista UTFPR)

 
 

Os seguintes pesquisadores contribuem com instrumentação:

Dr. Jorge Alberto Martins (UTFPR)
Dr. Marcelo de Paulo Correa (UNIFEI)